Demissão por Justa Causa Principais Motivos

Um dos maiores medos dos brasileiros é passar por uma demissão por justa causa, quando isso acontece seu histórico profissional fica comprometido e, além disso, ele perde todos os direitos trabalhistas conquistados pelo tempo que trabalhou.

A justa causa assusta muito os profissionais, principalmente quando a empresa começa a ameaçá-lo dando indicações de algo ele está fazendo de errado através de advertências e suspensões.

O Que Gera Demissão Por Justa Causa?

Para você entender se corre ou não o risco de ser demitido com justa causa é preciso aprender como a lei brasileira entende que um trabalhador pode ser desligado da empresa sem receber nenhum dos seus direitos trabalhistas.

A demissão por justa causa é aplicada quando as ações do trabalhador prejudicam a empresa, como insubordinação, faltas excessivas sem justificação, quando o empregado deixa de cumprir as ordens e até quando deixa de cumprir suas funções.

Pelo artigo 482 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) aprendemos quais são as atitudes que o trabalhador pode ter que lhe custará o emprego.

Demissão por Justa Causa

Entre elas temos: ato de improbidade; incontinência de conduta ou mau procedimento; violação de segredo da empresa; embriaguez habitual ou em serviço; ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem; e outras.

É importante conhecer o artigo completo da CLT para você conhecer o que não pode ser efetuado na empresa e assim evitar a demissão por justa causa.

O Que Perco Com Essa Demissão?

Todo trabalhador possui direitos trabalhistas, quando ele é demitido esses direitos são entregues para garantir uma renda enquanto ele não encontra um novo trabalho. O principal benefício do trabalhador que perde o emprego é o seguro desemprego, mas quem passa por uma demissão por justa causa não tem o direito de receber o auxílio do Governo para se manter por até 6 meses ou até encontrar outro trabalho.

O seguro desemprego passou por algumas reformulações em relação ao tempo de trabalho e tempo de recebimento, porém só é oferecido ao profissional desligado sem justa causa.

Além do seguro desemprego, o profissional que foi desligado da empresa através da demissão sem justa causa perde os 40% pagos pela empresa pela rescisão trabalhista, e sai apenas com o valor dos dias trabalhados, mais férias proporcionais e 13.º proporcional. Perdendo até mesmo o direito de sacar o FGTS.

Esta categoria de demissão é extremamente negativa por conta da perda desses direitos trabalhistas, pois o empregado deixa a empresa como se estivesse pedindo demissão.

Posso Entrar na Justiça se não Concordar com a Demissão?

Sim, esse é um direito garantido para todos os trabalhadores e se você se achar injustiçado pela demissão por justa causa, não deixe de buscar orientações com um advogado trabalhista para saber se você tem direito de reverter esse problema profissional que pode prejudicar muito sua carreira.

Se você entrar na justiça contra o empregador, fique atento, você pode pagar as custas processuais. Um dos motivos que pode fazer com que você arque com as despesas é a  falta injustificada à audiência trabalhista, mesmo sendo um beneficiário da justiça gratuita. Por isso tome muito cuidado quanto a datas e sempre fale a verdade para não se prejudicar e além de perder o emprego ainda ter que pagar mais uma conta das tantas que já se tem para pagar quando perdemos o emprego.

Emprego Após a Demissão Por Justa Causa

O empregado que passa por uma demissão por justa causa perde seus direitos trabalhistas e tem, com isso, perdas financeiras pela falta desses benefícios importantes para ele conseguir se manter até encontrar um novo emprego.

Essa não é a única perda que o empregado sofre, esse trabalhador pode também sofrer na hora de tentar uma recolocação no mercado de trabalho, já que as empresas podem preferir contratar um profissional que não tenha tido esse problema de justa causa no seu histórico.

Não adianta omitir o fato e nem tirar uma nova carteira de trabalho para que a próxima empresa contratante não saiba da demissão. É melhor conversar com o entrevistador, contar a verdade e mostrar que você mudou e está disposto a recuperar seu caminho profissional corretamente.